sexta-feira, 25 de junho de 2010

Visões.

Olho por cima do teu ombro
é caos por todo o lado.
As casas destruídas, os candeeiros a piscar
o lixo acumula, as sombras tomam o controlo.
Trazes o peito pintado de sangue
pela ferida que eu abri,
amanhã de madrugada
declama o poema que eu escolhi.

1 comentário:

caroline knows disse...

devias publicar parte da poesia que inventas enquanto me beijas.